Os ame­ri­ca­nos têm a SOPA, nós temos o tacho. A pre­tex­to do com­ba­te à pira­ta­ria e de uma «com­pen­sa­ção» por direi­tos de autor, encontra-​se em pre­pa­ra­ção um assal­to aos nos­sos bol­sos. Mais um.

Consumidores, comer­ci­an­tes e artis­tas inde­pen­den­tes terão de pagar uma taxa por­no­grá­fi­ca aos ami­gui­nhos da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) sem­pre que adqui­ri­rem dis­po­si­ti­vos de arma­ze­na­men­to.

Dos tele­mó­veis aos dis­cos rígi­dos, nada esca­pa­rá à ganân­cia dos auto-​proclamados repre­sen­tan­tes e defen­so­res da Cultura.

Por que razão – ain­da por cima em tem­po de cri­se e difi­cul­da­des e sacri­fí­ci­os – tere­mos de pagar os bene­fí­ci­os de uma peque­na eli­te e dos seus pro­te­gi­dos? Por que razão tere­mos de pagar pelo direi­to de guar­dar o que é nos­so? Quem é a SPA para meter o bede­lho no que faze­mos com as foto­gra­fi­as que tira­mos e os fil­mes que faze­mos?

Eles preparam-​se para nos rou­bar com o pre­tex­to de que somos todos poten­ci­ais ladrões.

Paulo Alexandrino

O Império dos Tachos, de Paulo Alexandrino

Chegou o momen­to de dizer aos polí­ti­cos e aos senho­res da SPA que os nos­sos bol­sos, tal como a nos­sa paci­ên­cia, têm limi­tes. E se a for­ça dos argu­men­tos não é sufi­ci­en­te para com­ba­ter a pro­pos­ta de lei 118, então tal­vez a for­ça dos núme­ros faça a dife­ren­ça.

Foram os pro­tes­tos na Internet que tra­va­ram o SOPA/​PIPA, pelo menos por enquan­to. Não sere­mos nós capa­zes de fazer o mes­mo em rela­ção ao pro­je­to Tacho/​118?

Não se limi­tem a fazer baru­lho nas redes soci­ais ou a espe­rar que os jor­nais falem do assun­to, é pre­ci­so mostrar-​lhes que esta­mos com­pro­me­ti­dos. Se for­mos mui­tos milha­res a assi­nar, os depu­ta­dos terão de ter a nos­sa von­ta­de em con­ta por­que cada assi­na­tu­ra é um voto e o voto é um dos pou­cos mei­os de dis­su­a­são que nos res­ta.

Não espe­res que sejam os par­ti­dos na Assembleia a tra­var uma luta que defen­de exclu­si­va­men­te os teus inte­res­ses. Tens de ser tu. Passa a pala­vra em todo o lado e assi­na a peti­ção.

O arti­go 24º da Lei n.º 43/​90, de 10 de Agosto (Exercício do Direito de Petição) esta­be­le­ce que o Plenário é obri­ga­do a acei­tar e dis­cu­tir os ter­mos da peti­ção caso esta seja subs­cri­ta por mais de 4000 cida­dãos.
Já vamos em mais de duas mil assi­na­tu­ras e pode­mos che­gar lá. Escreve um post, divul­ga no Facebook, no Google+ e no Twitter; não assis­tas, impá­vi­do e sere­no, ao assal­to que está a ser pre­pa­ra­do pelo con­sór­cio Canavilhas/​SPA.
Marco Santos

­Marco Santos

Editor @Sapo. Blogger @Bitaites. Legendas @LegDivx. Pai em todo o lado. Queres contactar-me?