Qualquer pes­soa que faça um blo­gue pode publi­car um livro – bas­ta ter o suces­so. Distantes estão os tem­pos em que era neces­sá­rio saber escre­ver.

Existem vári­os tipos de suces­sos, mas só um pre­va­le­ce: o $uces­so. Nada lhe resis­te, nem os cri­té­ri­os jor­na­lís­ti­cos. Uma pes­soa par­ti­ci­pa num vídeo onde con­fes­sa o seu sonho de com­prar uma mala de mar­ca em 2013 e é entre­vis­ta­da duran­te mais de dez minu­tos, em dire­to, hora de pon­ta, Jornal da Noite, por­que esse vídeo se tor­nou viral. Não ter nada para dizer é já tão impor­tan­te como ter qual­quer coi­sa para dizer.

Nada resis­te ao $uces­so – nem mes­mo a liber­da­de de o defi­nir­mos à nos­sa manei­ra e recu­pe­rar­mos o «s» ori­gi­nal.

O $uces­so mede-​se pela capa­ci­da­de de cri­ar reba­nhos de con­su­mi­do­res. O $uces­so for­ma gigan­tes insu­fla­dos de hidro­gé­nio e estu­pi­dez, e vam­pi­ri­za todos os outros. Egoísta e ego­cên­tri­co, bus­ca a imor­ta­li­da­de pro­cu­ran­do eli­mi­nar todos os outros suces­sos e poder gri­tar aos céus, como a per­so­na­gem de Christopher Lambert no fil­me «Highlander»: «There can be only one».

O suces­so do meu ami­go e par­cei­ro de blo­gue, o jor­na­lis­ta e musi­có­lo­go Rui Eduardo Paes, é dos peque­ni­nos – tão insig­ni­fi­can­te que o $uces­so se riria dele, caso o reco­nhe­ces­se.

O pro­ble­ma de gajos como o Rui é tam­bém gos­tar de dinhei­ro. Não está apai­xo­na­do ou ena­mo­ra­do – nem sequer se pode dizer que seja um amor pla­tó­ni­co. A rela­ção dele com o dinhei­ro é a mes­ma da do homem de per­na par­ti­da com as mule­tas: não lhe pas­sa pela cabe­ça beijá-​las e chamá-​las de «meus amo­res», mas sem elas não se pode por de pé.

E o Rui caiu. Caiu mes­mo. Caiu no desem­pre­go e não há manei­ra de se levan­tar por­que o jor­na­lis­mo pre­ci­sa cada vez menos de gen­te que sai­ba pen­sar. Está em vias de sair do país ou ter­mi­nar uma ati­vi­da­de de qua­se 30 anos. Uma tre­men­da injus­ti­ça.

O $uces­so pas­sa­ria pelo Rui a dan­çar o Gangnam Style, des­pre­o­cu­pa­do e feliz da vida. Mas per­gun­tem a meló­ma­nos e músi­cos de jazz, em Portugal e no estran­gei­ro, gen­te da músi­ca impro­vi­sa­da, das prá­ti­cas expe­ri­men­tais à vol­ta do som, músi­cos de rock e músi­cos inca­ta­lo­gá­veis, perguntem-​lhes quem é o REP e responder-​vos-​ão que é uma «refe­rên­cia» – o úni­co jor­na­lis­ta e ensaís­ta pro­fis­si­o­nal que lhes dá aten­ção, em Português e para por­tu­gue­ses.

Para o Rui, a músi­ca é um mapa da vida e cada livro, cada arti­go, cada post, um con­vi­te à explo­ra­ção. Faz ser­vi­ço públi­co – con­tra tudo e todos, incluin­do o impi­e­do­so Estado que o ame­a­ça levar à ruí­na.

O Bitaites não dese­ja que isso acon­te­ça, por isso mon­ta aqui uma cam­pa­nha de soli­da­ri­e­da­de – uma espé­cie de crowd­fun­ding. Nunca me pas­sou pela cabe­ça escre­ver uma pro­sa des­tes nem embar­car numa ini­ci­a­ti­va assim, mas tam­bém sei mui­to bem o tipo de pes­soa que está aí des­de lado a ler este post. Prefiro 100 visi­tan­tes de suces­so do que 10 mil a man­do do $uces­so. Por isso sei que irão com­pre­en­der e aju­dar, se pude­rem.

Quero que con­ti­nue a tra­ba­lhar ardu­a­men­te. Quero que con­ti­nue a escre­ver. Quero ajudá-​lo a resol­ver os mal­di­tos pro­ble­mas de dinhei­ro que o pode­rão impe­dir de pros­se­guir o seu ser­vi­ço públi­co.

Como con­tri­buir? Através des­te NIB: 00350 584000 5015 680073 (trans­fe­rên­ci­as inter­na­ci­o­nais: PT5000 350584 000501 5680073) ou, se pre­fe­ri­rem, fazen­do uma doa­ção para a minha con­ta PayPal. Músicos, aman­tes da músi­ca e das letras, che­gou a vos­sa hora de aju­dar quem tan­to vos tem dado.

Que o melhor jor­na­lis­ta e musi­có­lo­go por­tu­guês, meu ami­go dos últi­mos 20 anos, par­cei­ro de aven­tu­ras blo­gos­fé­ri­cas, se veja for­ça­do a uma últi­ma e deses­pe­ra­da expo­si­ção públi­ca é algo que devia fazer pen­sar os que têm a res­pon­sa­bi­li­da­de de pro­por­ci­o­nar Cultura e Educação às novas gera­ções. E, já ago­ra, aos que têm tido a res­pon­sa­bi­li­da­de de os ele­ger.

Marco Santos

­ Marco Santos

Editor @Sapo. Blogger @Bitaites. Legendas @LegDivx. Pai em todo o lado. Queres contactar-me?