Scott C. Waring – um in­tré­pi­do ba­lhe­lhas mui­tas ve­zes re­fe­ri­do na co­mu­ni­ca­ção so­ci­al co­mo «es­pe­ci­a­lis­ta», «es­tu­di­o­so» ou «ca­ça­dor da vi­da ex­tra­ter­res­tre», au­tor do gran­de epi­cen­tro da ba­lhe­lha­lo­gia em re­de cha­ma­do UFO Sightings Daily – aca­bou ago­ri­nha mes­mo de en­con­trar um urso-bebé em Marte.

Bem, não foi ago­ri­nha mes­mo: topou-o há três di­as. Tomei a li­ber­da­de de fa­zer com as da­tas aqui­lo que o Scott faz com as ro­chas mar­ci­a­nas: desvirtuá-las pa­ra po­der es­cre­ver o que lhe der na ga­na.

Não alimentes o urso

O incansável Scott descobriu um urso em Marte

«Data da des­co­ber­ta: ou­tu­bro de 2015» – anun­ci­ou o Scott no UFO Sightings Daily. Não é fá­cil ca­çar ali­e­ní­ge­nas e é ain­da mais di­fí­cil ser Scott, pois o ho­mem pro­me­te fazê-lo de for­ma diá­ria e, por Toutatis, con­se­gue cum­prir. E há anos que cons­trói, com enor­me su­ces­so, um ca­tá­lo­go da fau­na mar­ci­a­na que só ele e mais uns quan­tos pres­ti­gi­a­dos são ca­pa­zes de vis­lum­brar.

Mas nem tu­do são ro­sas, uma vez que as agên­ci­as es­pa­ci­ais cons­pi­ram con­tra ele e, por ine­rên­cia, o mun­do: «Há uma ra­zão pa­ra a NASA me­ter fo­tos a pre­to e bran­co: pa­ra es­con­der as cri­a­tu­ras vi­vas e as plan­tas que são em ób­via cor». Talvez fos­se bom re­cru­tar um ba­ta­lhão de dal­tó­ni­cos pa­ra des­mas­ca­rar a NASA de uma vez por to­das.

Scott so­fre de pa­rei­do­lia ga­lo­pan­te e é um dos pou­cos que não usa o Photoshop pa­ra cri­ar ex­tra­ter­res­tres: o ho­mem nas­ceu com to­das as fer­ra­men­tas de edi­ção já in­cor­po­ra­das no cé­re­bro e basta-lhe abrir uma fo­to da NASA pa­ra que os pon­tei­ros de ra­to que tem no lu­gar das pu­pi­las apon­tem pa­ra os bi­chos es­con­di­dos nas ro­chas. Scott é, ele pró­prio, um ex­tra­ter­res­tre – só que ain­da não des­co­briu.

Uma das mis­sões de Scott é con­ven­cer os ter­res­tres de que ain­da exis­te vi­da em Marte e que ou­tro­ra flo­res­ceu uma ci­vi­li­za­ção no pla­ne­ta. Assim que viu o ur­si­nho a pas­se­ar na cra­te­ra Gale, cum­priu o seu de­ver: en­vi­ou um email a in­for­mar o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. «Alerto-os com frequên­cia pa­ra as mi­nhas fan­tás­ti­cas des­co­ber­tas», con­ta Scott, «mas ain­da es­tou pa­ra re­ce­ber uma res­pos­ta.»

Só uma vez o ingrato-mor Ban Ki-moon se dig­nou a res­pon­der, quan­do lhe pe­diu pa­ra dei­xar de en­vi­ar emails pa­ra o en­de­re­ço do Secretário-Geral e, em vez dis­so, mandá-los pa­ra a con­ta ge­ral das Nações Unidas. Estaria Ban Ki-moon a tes­tar os fil­tros anti-spam do sis­te­ma ou tê-lo-ia des­pa­cha­do por es­tar en­vol­vi­do na cons­pi­ra­ção? Todas as hi­pó­te­ses es­tão em aber­to.

Scott até já descobriu uma mulher e tudo

Uma mulher em Marte

As «pro­vas» são mais que mui­tas. Ao di­ta­do po­pu­lar «as apa­rên­ci­as ilu­dem», o «es­pe­ci­a­lis­ta» con­tra­põe o mui­to mais sen­sa­to «tu­do o que pa­re­ce, é» – uma abor­da­gem me­to­do­ló­gi­ca que pro­duz um enor­me nú­me­ro de re­sul­ta­dos.

O ur­si­nho não é a pri­mei­ra des­co­ber­ta e pro­va­vel­men­te tam­bém não se­rá a úl­ti­ma: Scott já des­co­briu uma igua­na, um ro­e­dor pa­re­ci­do com um ra­to, uma es­tá­tua de Buda, ou­tra dos Maias, ros­tos rep­ti­lí­ne­os es­cul­pi­dos nas ro­chas, tú­mu­los an­ti­gos, na­ves des­pe­nha­das, ca­dá­ve­res ex­tra­ter­res­tres, vá­ri­os fós­seis, mui­tas fer­ra­men­tas pré-históricas e até mes­mo uma mu­lher.

Sim, uma fê­mea mar­ci­a­na em Marte. Há mui­tos as­tro­bió­lo­gos que não têm a mes­ma sor­te. Descobriu-a em ju­lho des­te ano, o ma­lan­dro, e anunciou-o ao mun­do a 5 de agos­to – e o mun­do dos sí­ti­os e jor­nais, com a ale­gria dos to­los, re­pro­du­ziu a des­co­ber­ta chamando-lhe, uma vez mais, «es­pe­ci­a­lis­ta» sem es­pe­ci­fi­car em quê.

«Tenho de ad­mi­tir», es­cre­veu Scott de­pois de ana­li­sar a fo­to, «is­to pa­re­ce uma mu­lher par­ci­al­men­te ves­ti­da. Ela pa­re­ce ter sei­os, ten­do em con­ta as som­bras so­bre o pei­to…»

Scott, afi­nal, não des­co­briu ma­mas em Marte, mas a som­bra de umas ma­mas. Já não é mau, mas al­guém tem de di­zer ao in­tré­pi­do ca­ça­dor de ex­tra­ter­res­tres que pa­ra se che­gar ao YouPorn não é pre­ci­so pas­sar pri­mei­ro por Marte.

Marco Santos

Bitaite de Marco Santos

Editor @Sapo. Blogger @Bitaites. Legendas @LegDivx. Pai em todo o lado. Queres contactar-me?